Ressonâncias da Mensagem do Graal 2

de Abdrushin


1.LIVRO ◄ ► 2.LIVRO
Deutsch
English
Francais
Español
Русский
Česky
Índice


14. Páscoa 1935

Algo jubiloso esperais ouvir hoje de mim, pois é festejado a Páscoa, a festa da ressurreição!

Bem que a Terra se prepara, nas zonas a nós familiares, com a fidelidade de sempre, para oferecer aos habitantes nova força, proporcionar novo alimento, despertar esperança e também para satisfazer desejos, como sempre tem feito, vibrando de boa vontade nas leis de Deus, desta vez, porém, a humanidade não compartilhará das bênçãos de Deus como até agora, pois a ira de Deus encontra-se sobre ela, julgando.

É a Páscoa hoje, que terá de conduzir a humanidade para o sofrimento da Sexta-feira Santa, na justa compensação de Leis eternas!

Humanidade, tu não atentaste aos chamados da Luz! Somente em assimilação espontânea e no cumprimento da Sagrada Palavra de Deus poderíeis ter-te salva ainda no tempo certo! Mas, como sempre, tu apenas riste, zombaste e escarneceste, agora receba a recompensa por isso!

Tu aprenderás a observar os chamados de Deus, a guiar-te agradecida por eles, a obedecer ao teu Criador! Pois um outro caminho não permanecerá livre para ti, além da queda para a decomposição, para a morte eterna!

Isso é a única coisa que te resta a escolher, para o que deves te decidir. Entretanto, se ainda queres viver obedientemente, então deves ter a vontade sincera para isso e pedir por isso com a mais pura humildade, senão não mais te será concedido; por tempo demasiado brincaste, leviana ou também maldosamente, com o tesouro mais precioso que Deus te emprestou.

De tua vontade é exigido agora o maior esforço! Assim como naquela época a escuridão cobriu o Gólgota quando o Filho de Deus Jesus, a Luz viva, deixou esta Terra, assim ela passa agora equilibrando sobre toda a humanidade, trazendo-lhe de volta o grande sofrimento que ela causou ao amor de Deus, com a maneira cruel do ardiloso raciocínio, incapaz da mínima vibração intuitiva, e que, como o mais forte instrumento de Lúcifer, era sagrado para vós!

Procurai, pois, agora, seres humanos, se puderdes, proteger-vos da ira sacrossanta de Deus com o vosso raciocínio! Defendei-vos contra a onipotência daquele que magnanimamente vos entregou esta parte da Criação para usufruto, mas que devastastes e sujastes como uma estrebaria de animais sem trato, a ponto de aí só poderem habitar o sofrimento e a miséria, porque ante vosso comportamento errado e vosso querer tenebroso, toda a paz e alegria fogem, toda a pureza se esconde horrorizada.

Procurai esconder-vos da indesviável justiça de Deus! Ela vos atinge por toda parte, executando inexoravelmente a vontade divina, sem perdoar algo da tremenda culpa com que vos sobrecarregastes por presunção e teimosia.

Sois julgados antes mesmo que possais balbuciar uma única palavra de desculpa, e de nada vos valem todos os rogos, todas as súplicas, todas as blasfêmias ou imprecações, pois empregastes e dilapidastes imperdoavelmente o último prazo destinado ao exame de consciência e conversão, cuidando apenas de vossos vícios!

Isto traz em si a Páscoa que hoje festejamos! Não vos digo isso como advertência, pois para tanto já é demasiado tarde. Longe estou de continuar a advertir, como tenho feito há anos. Deveis apenas refletir nisso no vivenciar vindouro! Por isso digo mais uma vez o que esse tempo contém para vós. Talvez o saber disso alivie-vos em muitos sofrimentos, mesmo que isso nada mais possa evitar.

Sabeis que é o resgate da culpa que vós próprios pusestes voluntariamente sobre os ombros, pois ninguém a isso vos obrigou. Se, mediante minhas palavras, puderdes, em vosso sofrimento, chegar ao reconhecimento, renascendo assim, dentro de vós, a saudade pela Luz e a pureza, que se objetiva por um pedido cheio de humildade, então, mesmo afundando, ainda poderá existir salvação para vós, sim, porque o amor de Deus permanece vigilante e estas minhas últimas palavras a respeito não foram em vão, se ao menos um entre os que afundam se lembrar disso com humildade antes que seja tarde demais.

É, por isso, o melhor que vos posso dar nesta festa de Páscoa!

Para vós florescerá uma verdadeira Páscoa somente quando o Juízo do Senhor tiver passado. Então quero falar novamente a vós e anunciar de uma nova vida, que o Senhor só outorgará àqueles que de bom grado vibram nas sagradas leis da Sua Criação, que conservam a Sua Casa, da qual sois apenas hóspedes, livre de todas as ações hostis à Luz e que, por sua vez, não devastem criminosamente os belos jardins, em cujo esplendor e pureza eles devem continuamente se alegrar, para nisso se fortalecer no espírito!

Ó cegos, por que não quereis despertar! De tanta coisa grave poderíeis poupar-vos. Então eu vos poderia ter anunciado algo rejubilante. Dessa forma, porém, todo o vosso ser terá de envolver-se em escuros véus de profunda melancolia, donde somente através dos relâmpagos fulminantes da sagrada ira de Deus vos podem advir ainda libertação e salvação!

E essa ira irromperá sobre vós com inimaginável poder no sagrado Juízo!

O Juízo, porém, é diferente do que pensais. Sabeis da existência dum Livro da Vida, que pelo Juiz enviado por Deus em determinada hora será aberto para cada um!

O Livro da Vida mostra os nomes de todas as criaturas que chegaram à vida, e nada mais.

As folhas escritas, porém, que constituem esse grande Livro da Vida, que mostram o pró e o contra de cada pensamento e de todas as ações de cada um isoladamente, são as próprias almas, onde está impresso tudo quanto elas vivenciaram e executaram no decorrer de sua existência.

Nisso, fácil é ao Juiz ler claramente todos os prós e os contras. Quanto a essa leitura, pensais também erroneamente. Também isso é muito mais simples do que procurais imaginar.

O Juiz não faz cada alma isoladamente caminhar até diante Dele, até diante de Seu trono, e sim envia em missão de Deus seus golpes de espada pelo Universo! Os golpes de espada são irradiações que emanam, atingindo tudo na Criação!

Reconhecei a grande simplicidade e a surpreendente naturalidade! O Juiz não envia os raios a este ou àquele, consciente ou deliberadamente, não, simplesmente os emite por ordem sagrada de Deus, pois é a força de Deus, nada mais poderia atuar dessa maneira senão a Sua sacrossanta vontade!

Os golpes da irradiação, ou as irradiações atravessam, portanto, a Criação toda, mas com uma força até então jamais havida.

Nada consegue se esconder do seu efeito! E assim, o raio da força divina atinge também cada alma em determinada hora na lei da atuação da Criação.

Então, tudo quanto a alma humana ainda traz consigo, por ocasião do impacto do raio de Deus, que nem se torna visível a ela, terá de reviver e também chegar aos efeitos e atividade, a fim de que nisso possa fechar seu último círculo de remate, que elevará ou afundará essa alma.

Do que uma tal alma, no decorrer de sua existência, já foi capaz de se livrar quanto ao erro e ao mal, em remates no vivenciar consentâneo com as leis da Criação, fica extinto de tal maneira como se nunca tivesse existido; por isso não pende mais nela, não está mais impresso nela. Está livre disso e limpa; por conseguinte, não lhe pode causar nenhum dano.

Somente aquilo que ainda não encontrou seu círculo de remate e que portanto ainda pende nela, ainda lhe está ligado, será sem mais demora forçado para o círculo de remate sob a pressão da Luz, ao mesmo tempo em que se mostra, revivendo nas tentativas de atividade, e nisso também recebe o golpe que merece.

Tais golpes estão exatamente de acordo com a força do próprio querer que, desencadeando-se em ação de retorno, se dirigem contra a alma como ponto de partida! Pela pressão irresistível da Luz ficará tudo agora fortalecido e rechaçado para o ponto de partida, para a alma, sejam coisas boas ou más.

E tudo o que, de outro modo, no decorrer lento do âmbito condensado e endurecido de todas as almas humanas na Terra talvez ainda precisasse de muitos milênios para se fechar no círculo, agora ficará comprimido em poucos meses pela propulsão que ser humano algum esperava, decorrente da força dos golpes da Luz.

Assim se processa o Juízo do Universo em sua singela naturalidade! É desta vez o “Juízo Final”, que tantas vezes vos foi anunciado! Contudo, seus desencadeamentos são muito diferentes do que pensastes. O que a tal respeito vos foi anunciado outrora deu-se em imagens, porque doutra forma nem teríeis compreendido.

Através da Mensagem do Graal, contudo, progride vosso saber sobre a atuação na Criação, podendo por isso sempre vos ser dito algo mais, pois hoje, devido a minha Mensagem, já podeis compreender.

Os golpes de espada do derradeiro dia investem como irradiações de Luz da sagrada ira de Deus em direção à Criação e fluem através de todos os canais já formados pelos efeitos automáticos das leis divinas na Criação, e constituídos por todo o intuir, pensar, querer e também atuar dos seres humanos, como pontos de partida.

Por isso os raios julgadores serão dirigidos através desses canais já existentes, com incontestável segurança a todas as almas, produzindo lá seus efeitos de acordo com o estado da respectiva alma, todavia, tão aceleradamente, que toda a sua existência será trazida em poucos meses para o último círculo de remate de toda a atuação de até então, soerguendo essas almas ou derrocando-as, vivificando-as e fortalecendo-as ou destruindo-as, de acordo com o estado real!

Assim é o Juízo! Hoje podeis através da Mensagem compreender o fenômeno descrito.

Antes não o teríeis podido compreender, e, por isso, tudo teve de ser anunciado a vós em simples imagens, correspondendo mais ou menos ao funcionamento do processo.

E esses golpes do Juízo Final já foram efetuados! Eles já estão a caminho até vós, a caminho até cada um na Criação, não importando se está ou não com seu corpo terreno.

Os primeiros já vos atingiram e assim revive tudo quanto ainda pende em vossas almas.

Mas também os últimos golpes, que vos trazem aniquilação ou elevação, são arremessados com severidade dominadora, para consumar a purificação desta Terra!

Já estão se arremessando sobre a humanidade, e nada consegue em parte alguma detê-los. Na hora exatamente determinada por Deus será a humanidade atingida de maneira inexorável, porém justa!

Com isso cumpriu-se a última coisa da vontade de Deus no Juízo! Orai, seres humanos, para que nele não tendes de perder-vos!

Abençoados sois vós, que pudestes vos tornar sábios; pois com isso vos é dada segurança em vossas peregrinações através das Criações; vós conheceis exatamente o caminho e a meta! Isso vos proporcionará força, alegria, paz, ao mesmo tempo proteção e ainda vontade aumentada para o bem!

Sagrada força de Deus esteja convosco, vós que, agradecidos, quereis trilhar os caminhos certos!

AMÉM.

Ressonâncias da Mensagem do Graal de Abdrushin


Índice

[Mensagem do Graal de Abdrushin]  [Ressonâncias da Mensagem do Graal] 

contato