Na Luz da Verdade

Mensagem do Graal de Abdrushin


1.LIVRO ◄ ► 2.LIVRO
Deutsch
English
Francais
Español
Русский
Український
Magyar
Česky
Slovensky
Índice


83. Convocado

Alemães devem ser convocados para tornarem-se o povo-guia espiritual e terrenamente! Inúmeros livros indicam isso, e muitas boas profecias e visões, que não podem ser afastadas sem mais como produtos de fantasia, repetem freqüentemente e sempre de novo com grande clareza o mesmo sentido. Sem dúvida, muitos desses livros foram escritos apenas para reerguer os alemães em grande aflição, a fim de não deixar as coisas boas serem totalmente sobrepujadas no desespero pelos maus ressurgimentos de tais estados de aflição; contudo, quem procura ocupar-se seriamente com o futuro desse povo, que primeiramente tem de sair dos escombros da situação atual, achará também que tem de existir um grãozinho de sabedoria ou verdade nas alusões referentes a um grande futuro.

Digo, porém, de modo totalmente intencional: “dos escombros da situação atual!”, pois para fora da própria situação atual só existe um caminho: o de mais decadência e queda!

Olhai uma vez calmamente as pessoas, como são agora! Procurai, apenas uma vez de forma bem atenta, na juventude mais madura, a geração vindoura, a próxima geração alemã. Ela está envenenada já desde a base, tanto no corpo como na alma. As poucas exceções, que ainda se apresentam, destacam-se como singulares, mas para um povo inteiro são quase como nada.

Essas exceções parecem tão fortemente exageradas em relação ao seu ambiente, cada vez mais decadente, que começam a parecer grotescas e estão próximas de cair na zombaria geral, sendo consideradas como não normais, doentias, entusiastas e tolas inúteis!

Esse grotesco sobressair, porém, não é causado por essas exceções louváveis, mas sim pelo ambiente decadente, que, em sua queda desesperada, cada vez mais e mais se afasta do estado de alma razoavelmente normal. As pessoas não mais percebem essa sua queda, que as distancia do solo sadio e firme, onde aqueles poucos ainda se encontram, pelo contrário, têm a intuição errada, como se aqueles estivessem devaneando doentiamente em ilusões pueris, para, a qualquer momento, para zombaria de todos, caírem em breve, desiludidos.

Contudo, não demorará muito, e seus olhos perderão toda a zombaria, dando lugar, em contrapartida, ao pavor, quando finalmente terão de reconhecer que os outros, até agora ridicularizados, tinham o ponto de vista correto e firme, enquanto que eles, submergindo na pior lama, pouco a pouco se sufocam. Na lama, que eles mesmos prepararam para si, e que agora, irresistivelmente, abate-se sobre suas cabeças!

O pior nisso é que esse estado calamitoso não deve ser atribuído aos inimigos da Alemanha, mas sim aos próprios alemães.

Contudo, como no cozimento toda a sujeira é impelida para cima, assim também acontece nessa grande época de fermentação. Uma vez que tudo agora se desloca com enorme velocidade ao encontro de um colossal processo de purificação, vê-se de fora apenas a espuma suja ou escória, levantada em turbilhões do verdadeiro povo alemão, e que não mais deixa reconhecer a base sadia, fazendo crer que tudo já esteja irremediavelmente estragado. No entanto, não é assim! Quanto mais a espuma suja se concentrar em cima, como cobertura, tanto mais clarificada e pura tornar-se-á a parte principal debaixo dela. E então, quando na desilusão devido a acontecimentos horríveis vier o esfriamento da fervura, que causou a situação atual e a penúria resultante, abrir-se-á, de baixo para cima, uma fenda após outra nessa rígida escória, pondo à mostra subitamente a pureza e a clareza que se formaram sob a cobertura suja, gasta e perturbadora dos sentidos.

Mas então irrompe vitoriosamente, com imensa força, a essência clareada, e arranca a escória cada vez mais ressecada em si, e que, futuramente, não mais pode permanecer de modo obstrutivo entre os acontecimentos e o verdadeiro núcleo do povo!

O vencedor, contudo, não é uma nova e vindoura geração, não é a juventude alemã de hoje, animicamente tão doente e miseravelmente desenvolvida, que se deixou envenenar, devendo ser levada como debulho pelo primeiro sopro de vento, já que, imatura, seguiu trilhas erradas, desgastando-se em excessos até a destruição de todo o verdadeiro apoio. O vencedor será o antigo, o de até agora, que, purificado como aço, subitamente erguer-se-á da confusão insensata, como um bloco inabalável, sobre o qual, unicamente, poderá se realizar a nova construção!

Olhai para dentro de vós próprios, ó homens alemães maduros, mulheres maduras, não para a juventude em formação, que só pode e tem de aprender convosco. Vós trazeis o futuro em vós, unicamente vós, que ainda vivenciastes o passado como base!

Apenas sem compreender vos deparastes com a atuação insensata de até agora e por isso ainda não interferistes! Ajudai finalmente a juventude enfraquecida com a antiga força alemã, que não conhece condescendência fraca, e que com severidade em relação a si própria, bem como a outrem, levanta-se como poderosa chama, temida pela falsidade, pela moleza e pela fraqueza!

Era apenas espanto desmedido diante da possibilidade dos acontecimentos atuais, que paralisou assim temporariamente vossa invencível e salutar vontade, mas não a concordância ou prazer na degradação do corpo e não menos também da alma.

E vós que, juntamente com as vindouras gerações, deixastes-vos acorrentar tanto, tendes o dever de vós mesmos romperdes novamente as correntes e, para isso, não esperar uma solução por parte dos sucessores!

Vós, porém, que esperais comodamente pela realização de elevadas profecias, contais com elas, não vos enganeis! Onde não se atua, nem a melhor profecia pode realizar-se! O próprio “aguardar” coloca um ferrolho diante da possibilidade.

E vossas disputas sobre interpretações e as épocas de possíveis realizações são tão perigosas e nefastas para o futuro da Alemanha, como a epidemia alemã das constantes cisões na política interna, onde temos de constatar que até agora não houve ainda um verdadeiro espírito nacional alemão. Este pôde ser encontrado somente em pessoas isoladas! Apenas em perigo extremo, as massas ficavam às vezes unidas, mas também nem sempre. Onde é que houve aí um povo realmente alemão, animado por um espírito livre e orgulhoso? Qualquer intrigante podia manifestar-se mui facilmente, seu jogo maldoso sempre encontrava solo fértil.

Dançando despreocupadamente, ouvem-se, com um dar de ombros, as queixas desesperadas de partes inteiras do povo alemão, que sofrem diariamente com o ódio dos inimigos.

Promessas e profecias, contudo, falam de um povo escolhido! Pode entrar em cogitação para isso, realmente, o povo alemão, como hoje se apresenta? Mostra-se ele como escolhido? A resposta para isso posso poupar.

Ser convocado é algo bem singular. Já Cristo falou advertindo: “Muitos são convocados, mas apenas poucos deles são escolhidos!” Isto quer dizer que apenas poucos dos convocados chegam à realização do cumprimento, uma vez que eles mesmos têm de concretizar esse cumprimento, mediante esforços ferrenhos, atividade extraordinária e trabalho dedicado. E como se dá com pessoas individuais, assim também ocorre com os povos! Ser convocado significa simplesmente trazer em si a faculdade para o cumprimento, não, porém, que esse cumprimento será lançado ao convocado em seu colo. Só quando o convocado, portanto, o capacitado, empenha-se totalmente, utiliza irrestritamente suas faculdades com dedicação ferrenha e indesviável, com árduos esforços e buscas tenazes, chega-lhe então ao encontro o auxílio de cima, de maneira extraordinária, que o conduz para a vitória, portanto, para o cumprimento de sua convocação. Mas também isto não deve, novamente, ser mal compreendido; pois o vir ao encontro de ajuda poderosa e extraterrena não deve ser entendido figuradamente. A força para a vitória final está sempre à disposição. O convocado apenas tem de se adiantar com seu trabalho mediante seu esforço e a capacitação a ele concedida, para que vá ao encontro dessa força, a qual então se une a ele!

Portanto, totalmente diferente do que é freqüentemente imaginado por muitos convocados. Ser convocado compromete! Um convocado recebe a espada da vitória para a luta, colocada na mão, devido às suas faculdades. Manejar e dar o golpe, ele mesmo tem de fazê-lo sempre. Portanto, não passeis sonhando uma época, na qual já estais destinados a fazer algo grande, época essa que, por si, tem de fazer-vos vencer, assim que vos movimentardes. Também para isso pode sobrevir um “tarde demais”, com o que uma vitória posterior será dificultada dez vezes, sim, cem vezes.

Como agora qualquer um vê que o povo alemão, assim como agora se apresenta, não pode ser considerado como o “escolhido”, que promessas, contudo, sempre trazem a possibilidade para o cumprimento, então está claro que muitas mudanças têm de se processar com o povo alemão. Voluntariamente ele não se modifica, é o que já mostrou nos últimos anos, uma vez que o espírito alemão decaiu em vez de subir, para o que cada alemão tem que contribuir com a sua parte. A conseqüência, pois, é que ele será obrigado à força a tornar-se a base e a terra de cultivo para, a partir da grande aflição, deixar desenvolver-se finalmente o indispensável espírito alemão. O que o sossego e a alegria não conseguem, certamente alcançará por fim o sofrimento. E se os sofrimentos de até agora ainda não foram suficientes, então terão de vir mais pesados e mais duros do que até então, e um dia será alcançado aquele ponto, em que toda a oposição obstinada quebra, ou se submete. Entre o quebrar e o submeter-se o ser humano individual ainda tem sempre a livre escolha, visto que tem de colher a recompensa por ambos, de acordo com a espécie de sua decisão.

Quanto mais próximo o cumprimento, tanto maior há de ser aguardado o sofrimento. Feliz daquele, cuja decisão resulta na sua felicidade.

O povo escolhido, evidentemente, não pode, no acontecimento universal, ficar limitado a apenas uma nação. Por essa razão, não é cogitado aí o povo alemão, no sentido mais restrito, como, de modo algum, uma nação em si entra em consideração em acontecimentos universais, embora possa representar um papel nisso para a efetivação de muitos acontecimentos. A espécie e a extensão de seu papel cada nação desenvolve para si, sozinha.

O que aqui, na vindoura era universal, é determinante de forma exclusiva, é a raça, não, porém, uma nação. A raça branca é a superior de todas no desenvolvimento por ocasião da decisão. Nisso, não importa mais que a Ásia e outros continentes já tenham sido anteriormente mais adiantados do que a Europa de outrora. Na época em que agora deve ser feito o ajuste final de contas, não somente para estes seres humanos terrenos, mas para toda esta parte do Universo, à qual pertence esta Terra. Unicamente o respectivo estado, na hora da decisão, é determinante, nada mais. E nisso, na Terra, a raça branca encontra-se agora em primeiro lugar. Por esse motivo também entra em consideração terrenamente a Europa como campo de batalha. Já me referi claramente na dissertação “Deuses, Olimpo, Valhala” *(Dissertação Nº 82) ao fato de que cada reencarnação ocorre num ambiente em estado análogo ao da alma que se encarna. Um branco, em acentuado retrocesso do degrau espiritual, pode, portanto, ser encarnado numa tribo inferior de negros, da mesma forma, naturalmente, também em sentido contrário. Na raça branca é de ser considerado, doravante, como o supremo, o verdadeiro espírito alemão! O espírito alemão em toda a sua limpidez e grandeza. O impulso para isso ele já tomou várias vezes, nunca, contudo, alcançou a verdadeira altura, a não ser em pessoas isoladas, que, aliás, sempre têm de ir à frente. Essas pessoas isoladas mostravam as capacidades de sua raça. O espírito alemão deve tornar-se exemplo e também guia na última ascensão da humanidade terrena. O espírito, não como é agora, mas sim como deve tornar-se, como também pode tornar-se, de acordo com suas faculdades, e como também se tornará infalivelmente no vivenciar vindouro!

No entanto, aí também não deve ser entendida exclusivamente a nação que se denomina alemã. Cada conceito num acontecimento universal vai muito além, não é tão restrito. Esse desejado espírito alemão qualquer cidadão de outras nações pode trazer por predisposição dentro de si. Deve ser entendido objetivamente por suas faculdades, de modo algum nacionalmente. Contudo, os que pertencem ao povo alemão trazem dentro de si principalmente todas as características básicas indispensáveis para esse espírito do futuro, ao qual fica reservada vitória incondicional e liderança na humanidade.

Cuidai, por isso, ó alemães, empregai toda a força, a fim de que vós, convocados devido à vossa predisposição, também sejais escolhidos. O povo escolhido compor-se-á dos seres humanos individuais escolhidos, para o que tendes todas as prerrogativas. Por isso ele compor-se-á também não somente de alemães, mas também de partes de outras nações, as quais, avaliadas espiritualmente, pertencem a ele. Não se detém nas fronteiras do país alemão.

Não desperdiceis a elevada missão que nisso vos aguarda! Arrancai-vos dessa superficialidade dos atuais pensamentos de toda a vida contemporânea e vos torneis aquilo que podeis e deveis ser: um espírito, um povo, que, guiando, há de caminhar de modo exemplar à frente dos outros. Se perderdes o tempo exatamente determinado para isso, quando todo o cosmo atua apoiando, aguardar-vos-á, em vez de ascensão, queda de ímpeto tão pavoroso, que vós, como definitivamente condenados, nunca mais podereis chegar à ascensão. Ser convocado compromete para o máximo desenvolvimento de força! Guardai essa advertência na memória para sempre!

Mensagem do Graal de Abdrushin


Índice

[Mensagem do Graal de Abdrushin]  [Ressonâncias da Mensagem do Graal] 

contato