Na Luz da Verdade

Mensagem do Graal de Abdrushin


1.LIVRO ◄ ► 2.LIVRO
Deutsch
English
Francais
Español
Русский
Український
Magyar
Česky
Slovensky
Índice


87. O Mestre do Universo

O Mestre do Universo é o Filho do Homem. Não é, porventura, chamado de Mestre do Universo porque deve instruir o Universo, talvez fundar uma religião que venha a unificar o Universo, em sentido mais restrito, a Terra, ou, ainda melhor, a humanidade da Terra, ou que domina a Terra, mas é chamado Mestre do Universo porque esclarece o “Universo”, traz ensinamentos a respeito do Universo. Aquilo que o ser humano realmente precisa saber! Ele ensina a reconhecer o “Universo” em sua atuação natural, para que o ser humano terreno possa se orientar de acordo e, assim, torne-se-lhe possível a ascensão de forma consciente, no reconhecimento das verdadeiras leis do Universo!

Trata-se, portanto, de uma doutrina do Universo, de ensinamentos a respeito do Universo, da Criação.

Atrás desse legítimo Mestre do Universo encontra-se radiante, como outrora se deu com Cristo, visível aos videntes puros, a grande Cruz do Redentor! Pode-se dizer também “Ele porta a Cruz”! Todavia, isto nada tem a ver com sofrimento e martírio.

Esse será um dos sinais que, “reluzindo de forma viva”, nenhum charlatão ou mago, mesmo o mais habilidoso, consegue imitar, e mediante o qual pode ser reconhecida a absoluta legitimidade de sua missão!

Esse fenômeno extraterreno não é acaso desconexo, apenas arbitrário, portanto, não antinatural. Compreende-se imediatamente a conexão, logo que se conhecer o real sentido da verdadeira “Cruz do Redentor”. A Cruz do Redentor não tem a mesma significação da cruz do sofrimento de Cristo, por meio da qual a humanidade também não podia ser salva, conforme descrevo pormenorizadamente na dissertação “Morte na cruz” *(Dissertação Nº 55) e tantas vezes repeti. Trata-se de algo bem diferente, por sua vez aparentemente simples, e, no entanto, gigantesco!

A Cruz, pois, já era conhecida antes do tempo terreno de Cristo. É o sinal da Verdade divina! Não somente o sinal, mas a forma viva desta. E como Cristo foi o portador da Verdade divina, da autêntica, e emanou da Verdade, estava em ligação direta com ela, trazia em si uma parte dela, ela aderiu também vivamente nele e a ele! Ela é visível na Cruz viva, portanto, luminosa e por si naturalmente radiante! Pode-se dizer que ela é a própria Cruz. Lá onde se encontra essa Cruz radiante, encontra-se, por conseguinte, também a Verdade, porque essa Cruz não pode ser separada da Verdade, por ser uma só coisa, porque essa Cruz mostra a forma visível da Verdade.

A Cruz que emana raios, ou a Cruz radiante é, portanto, a Verdade em sua forma intrínseca. E como somente por intermédio da Verdade o ser humano pode ascender e não de outra forma, logo, o espírito humano também só encontra a verdadeira redenção no reconhecimento ou conhecimento da Verdade divina!

E como, por sua vez, somente na Verdade se encontra a redenção, conclui-se daí que a Cruz, isto é, a Verdade, é a Cruz redentora, ou a Cruz do Redentor!

É a Cruz do Redentor! O Redentor, porém, é a Verdade para a humanidade! Somente o conhecimento da Verdade e a decorrente utilização do que reside na Verdade, ou do caminho apontado pela Verdade, pode conduzir o espírito humano para fora de sua atual alienação mental e desencaminhamento, para cima, rumo à Luz, libertá-lo, salvá-lo da situação atual. E como o enviado Filho de Deus e o Filho do Homem, que agora está por vir, são os únicos portadores da Verdade límpida, trazem-na em si, ambos também têm de trazer a Cruz, em si e aderida a si, de modo natural e inseparável, portanto, serem portadores da Cruz radiante, portadores da Verdade, portadores da redenção, que reside na Verdade para os seres humanos. Eles trazem a redenção na Verdade para quantos a acolherem, isto é, para os que seguirem o caminho apontado. – Que vale, comparado a isso, todo o palavreado astuto dos seres humanos? Desvanecer-se-á na hora da aflição.

Por isso, o Filho de Deus disse aos seres humanos que tomassem a Cruz e o seguissem, isto significa, portanto, que assimilassem a Verdade e vivessem de acordo com ela! Que se adaptassem às leis da Criação, aprendessem a compreendê-las direito e utilizassem-nas em seus efeitos naturais somente para o bem.

Mas o que a restrita mente humana fez novamente desse fato simples e natural! Uma doutrina de sofrimento não desejada por Deus e pelo Filho de Deus, seu enviado! E com isso foi enveredado um caminho falso, que não é consentâneo com o caminho apontado, e sim se afasta para bem longe da vontade de Deus, a qual só deseja conduzir para a alegria e não para o sofrimento.

É naturalmente um símbolo terrível para a humanidade, que o Filho de Deus outrora tenha sido pregado por ela justamente na forma terrenamente reproduzida da configuração da Verdade e martirizado até a morte, portanto, sucumbiu terrenamente no símbolo da Verdade, que ele trouxe! A cruz do sofrimento das igrejas, porém, não é a Cruz do Redentor!

Diz-se do Filho de Deus que é “aquele que se encontra na força e na Verdade”. A força é a Vontade de Deus, o Espírito Santo. Sua forma visível é a Pomba. A forma visível da Verdade é a Cruz por si irradiante. Ambas eram visíveis vivas no Filho de Deus, porque ele se encontrava nelas. Tratava-se nele, portanto, de um fenômeno natural e evidente.

O mesmo se verá também no Filho do Homem! A Pomba por cima dele, a Cruz do Redentor atrás dele; pois ele está, por sua vez, inseparavelmente ligado a isso, como o portador da Verdade, “que se encontra na força e na Verdade”! São os sinais infalíveis de sua legítima missão, para o cumprimento das profecias. Os sinais, que nunca podem ser imitados, que são indestrutíveis, advertindo e, não obstante a terrível severidade, também prometendo! Diante deles, unicamente, todas as trevas têm de desaparecer!

Elevai o olhar! Assim que os inexoráveis presságios de sua vinda tiverem se anunciado, que lhe desembaraçam o caminho dos empecilhos que a presunção humana ali amontoa, cairá a venda dos olhos de muitos, que são agraciados em reconhecê-lo dessa maneira! E em altas vozes terão que dar testemunho, impelidos pela força da Luz.

Ninguém dos inúmeros falsos profetas e guias de hoje poderá subsistir diante dele; pois em ambos os altos signos, que ninguém pode portar, a não ser o Filho de Deus e o Filho do Homem, o próprio Deus fala a favor de Seus servos, e toda a astúcia humana terá de se calar em face disso. —

Prestai atenção à hora, estará mais próxima do que todos pensam.

Mensagem do Graal de Abdrushin


Índice

[Mensagem do Graal de Abdrushin]  [Ressonâncias da Mensagem do Graal] 

contato