Ressonâncias da Mensagem do Graal 1

de Abdrushin


1.LIVRO ◄ ► 2.LIVRO
Deutsch
English
Francais
Español
Русский
Česky
Índice


50. O circular das irradiações

Devo ainda esclarecer muita coisa a respeito dos maiores e grandes enteais, sem falar por enquanto dos pequenos auxiliares desses grandes; pois dos menores e dos bem pequenos ainda há tantos, que mal podeis imaginar.

Muitas vezes gostaria de desanimar, quando procuro imaginar de que maneira devo explicar-vos ainda tudo isso com as palavras disponíveis do idioma, sem que percais a visão geral, e principalmente de tal maneira que, apesar disso, compreendais integralmente as conexões.

Exatamente a grande simplicidade, que existe na multiplicidade para vós inapreensível, torna-o tão difícil, porque o ser humano terreno só é capaz de ver com nitidez um bem determinado número de coisas e por isso nunca pode chegar à posição de abranger simultaneamente o todo como um, do que só então resulta a simplicidade.

Nisso, cada separação em diversas partes tem que vos dificultar a necessária visão global, porque cada parte por si é novamente tão grande e se acha tão estreitamente ligada com as outras através de efeitos recíprocos, que uma parte por si realmente isolada nem pode haver, porque não existe parte isolada nesta Criação, que em si é um todo!

E o todo o ser humano não pode abranger com a vista, jamais poderá, porque lhe falta a faculdade para isso, visto que também ele somente é apenas uma parte, aliás, uma parte bem ínfima da Criação, que não pode ultrapassar seus próprios limites, naturalmente também não na compreensão.

Por isso me vejo obrigado a ficar dentro de vossos limites, e posso dar-vos a respeito somente perspectivas sobre ou de tudo aquilo, que irá e deverá permanecer inacessível para vós. Nisso, todo o empenho é inútil.

Quando, porém, no saber, finalmente vos tiverdes conformado com o fato de que não sois capazes de tudo na Criação, então também possuireis humildade e estareis felizes com aquilo, que obtivestes de ampliação do vosso saber de até agora por intermédio da minha Mensagem.

Ocupar-vos-eis então com o presente e com o vosso ambiente mais próximo ainda muito mais detalhadamente do que até agora, porque então aprendereis a conhecer e utilizar tudo mais minuciosamente através de todas as perspectivas, que vos pude dar em coisas inatingíveis para vós, as quais, porém, deixam reconhecer nitidamente a estreita conexão convosco e com tudo aquilo, que existe ao vosso redor.

E é isto de que necessitáveis para entender e também utilizar o presente com proveito para vós. Com proveito para a ascensão!

As perspectivas podem levar-vos para cima, até o mais alto limite, que alguma vez seríeis capazes de alcançar. Exatamente pelo fato de eu vos deixar olhar ainda para o que para vós é inatingível, conseguis vós próprios utilizar tudo aquilo, que aqui vos é dado, do qual muita coisa vós ainda não conhecíeis.

Precioso para vós é esse saber das conexões de vossa existência com tudo o que se acha acima daquele limite, que, devido à origem do vosso espírito, ficará sempre rigorosamente traçado para vossa capacidade de compreender.

É isto também, que quero dar-vos com a Mensagem: o saber das conexões! Quem procurar com seriedade e com vontade realmente sincera irá ganhar muito com isso. Aprendereis ainda a reconhecer o valor de tudo; pois aquilo, que os seres humanos até agora denominaram saber, mal chega a ser a centésima parte daquilo, que na verdade poderiam saber. O limite do saber da humanidade em relação a toda a Criação é, sem dúvida, pequeno, porém, comparado ao saber atual, de uma grandeza para vós quase inimaginável, beirando ao milagroso.

E para alcançar esses limites máximos, ajudam-vos unicamente as perspectivas para aquilo, que vos permanece sempre inatingível, quando eu vos descrever as vossas conexões com isso, bem como as de vossos ambientes. O saber disso proporcionar-vos-á, com o tempo, as possibilidades de reconhecer exatamente as leis dentro da parte de vossos limites, o que, sem essa ajuda pela transmissão das conexões com o que vos é inatingível, teria que permanecer impossível.

Procurai entender-me nisso agora e reconhecei aquilo, que vos quero dar! Nisso, não ultrapasseis porventura o real; pois só vos quero dar aquilo, que pode favorecer-vos dentro de vossos limites e ser-vos útil, não mais. Algo mais não teria nenhuma utilidade para a humanidade!

Por conseguinte, não vos tortureis com a idéia de querer transformar tudo isso em vosso saber, tudo quanto reside no que para vós é inatingível! Não o conseguireis nunca, e eu não vos falo disso, para que dirijais vosso saber nesse rumo ou para que vos tortureis com inúteis tentativas de abranger tudo de modo real e completo! Isso nem podeis, para isso também não o dou, mas, sim, o recebeis de mim com aquela finalidade, de aprenderdes a conhecer todas as conexões, que de lá conduzem até vós.

Quando então mais tarde tomardes esse saber das conexões inabalavelmente como base orientadora em vosso futuro pesquisar e querer encontrar, então subireis mais alto em todas as capacitações e realizareis feitos em todos os campos, que deixarão na sombra tudo quanto até agora pudestes realizar.

Seres humanos, com isso devem ainda surgir vossas obras-primas, as quais vós realmente podeis criar dentro dos limites a vós demarcados, que nunca são transponíveis! Mas os limites, na realidade, são tão vastos para vós, que deveis rejubilar-vos com isso e agradecer a Deus por toda graça, que Ele vos concede.

Deveis, portanto, permanecer no terreno e solo de toda a condição humana no pensar e no agir e em todos os deveres para com vosso Criador. Mais não será exigido de vós; pois nisso reside o mais sublime que podeis oferecer-Lhe como gratidão, e tudo que vós com isso fazeis é também para Sua honra!

Pois nos maiores feitos em que, como seres humanos, deveis e podeis tornar-vos mestres, reside o oferecimento e a apresentação do agradecimento pelo fato de o Criador também ter vos concedido realizar tais coisas grandes através de Sua vontade na Criação, que encerra Suas leis.

E nas realizações extraordinárias vós também O honrais concomitantemente, porque a grandeza de vossas obras mostra ao mesmo tempo a grandeza de Sua graça! Quanto mais puderdes agir na Criação a partir da própria Criação, tanto mais nitidamente comprovareis com isso quão grandes são as leis de Deus dentro dela, e quanta riqueza, quanta graça, reside nisso para vós.

Honrais então a Deus no sentido mais verdadeiro e puro, se, trabalhando alegremente, utilizais tudo o que a Criação vos oferece; pois isso só vos será possível, se souberdes suas leis e também as compreenderdes, e então, acima de tudo, se agirdes realmente de acordo com elas! Somente então ela vos dará tudo quanto ela contém de beleza. Ela dará alegremente e auxiliando-vos.

E então, quando agirdes de tal maneira segundo as leis da Criação, vós também já estareis com isso transformados e completamente diferentes do que até agora. Sereis então seres humanos, que são agradáveis a Deus, sereis seres humanos, como eles sempre deveriam ter sido, sereis seres humanos conforme a vontade de Deus, porque vivereis Suas leis!

Então não haverá mais nada em vós para censurar. Estareis radiantes e cheios de júbilo na Criação, por toda parte, onde quer que vos encontreis, se na Terra ou em algum plano, e nem faríeis outra coisa senão louvar a Deus pela ação;pois tais obras se assemelham a um hino de louvor, que é vivo e vibra dentro de todas as leis desta Criação.

Este é um alvo, tão belo, tão maravilhoso e ao mesmo tempo para vós tão facilmente alcançável, que por isso me esforço em abrir-vos um caminho para lá, através da minha Mensagem.

Sereis então seres humanos! Seres humanos atuantes, para os quais aflui tudo na Criação, porque vibrareis com ela no júbilo da maior felicidade.

Isso, então, é ser criatura humana em honra de Deus! Ser feliz no mais verdadeiro sentido é, sim, o maior agradecimento a Deus, que podeis dar-Lhe. Mas com isso não deve ser entendida a felicidade ilusória da comodidade preguiçosa, que reside no sossego indolente. Isso é um entorpecente para o espírito, atuando de maneira muito pior do que o ópio para o vosso corpo.

Vós, porém, atingireis essa felicidade legítima; pois vós trazeis o forte querer para isso dentro de vós! E vós deveis ser o rochedo para todos aqueles, que quiserem salvar-se da inundação das baixas paixões e cobiças, que agora se derramam sobre esta humanidade terrena como frutos do seu querer errado de até então, quando, sem dúvida, muitas vezes pronunciaram o nome de Deus, mas nunca pensaram seriamente em obedecer à Sua vontade, se simultaneamente não era também a sua.

Procurai receber minha vontade dentro de vós e utilizá-la correspondentemente de maneira certa naquele sentido, em que eu vo-la dou, então tereis atingido a essência, na qual se baseia profundamente a intenção de minha Mensagem. E somente então também podereis tirar o verdadeiro proveito disso.

Agora vamos tentar dar mais um passo no saber a respeito do tecer na Criação.

Estais agora, provavelmente, diante de um novo enigma; pois certamente não existe um só entre vós, que julgue possível que possa haver algum erro ou alguma contradição em meus esclarecimentos. Por isso, porém, considerais como ainda não esclarecida muita coisa, que não pudestes coordenar de modo inequívoco em uma lógica estrutura de pensamentos, da qual, sim, necessitais para poder compreender.

Falei dos grandes guias puro-espirituais, que personificam as virtudes, mas falei também dos muitos mediadores enteais, que personificam as mesmas virtudes. Ambas as espécies eu designei como atuando sobre os seres humanos em suas respectivas espécies.

Nisso vos falta ainda a conexão certa, que vos pode completar uma imagem nítida, sem alterar o que ouvistes até agora.

Em si, tudo isso pode ser dito em poucas palavras, mas é melhor que eu procure evidenciá-lo em imagens, assim, como realmente é em suas formas.

Sabeis que, a partir da Luz, as irradiações se apartam e separam-se em bem determinadas subespécies. Em cada plano subseqüente, em direção descendente, é desprendida no resfriamento sempre de novo uma nova subespécie, portanto separada, que sob a pressão mais forte ainda existente até este respectivo limite não podia desligar-se e somente por esse novo resfriamento e a conseqüente diminuição de pressão ou grau de calor conseguiu afrouxar-se e tornar-se independente.

Cada desprendimento ou desligamento dessa espécie resulta simultaneamente também em uma nova formação da espécie desligada em uma correspondente configuração enteal. Isto é um acontecimento, que se realiza espontaneamente de acordo com a lei da Criação. Surge assim uma cadeia inteira com suas diversas divisões laterais de enteais auxiliadores e construtores, dos quais vos falei.

E todos estão ligados entre si, de modo que pode ser dito: eles se dão as mãos.

Toda essa cadeia de enteais encontra-se somente na vontade de Deus. Eles são personificações, entroncamentos das próprias irradiações, que retransmitem e, em suas bem determinadas espécies, sempre são os doadores na Criação, os quais, atuando dessa maneira, atravessam, irradiando para baixo, toda a Criação.

Portanto, bem entendido, os enteais são os doadores das forças irradiantes da irradiação divina que, obedecendo à pressão ou estando na pressão vinda de cima, sempre irradiam para baixo!

A corrente contrária é dada pelos espíritos personificados, que recebem dessas irradiações e, utilizando-as, irradiam-nas para cima!

Nisso reside o circular das irradiações através da Criação! No primeiro momento estais um pouco confusos e imaginais haver uma contradição nisso, porque também falamos que os primordialmente criados do puro espiritual irradiam para baixo sobre todos os espíritos humanos, e acreditais agora que duas espécies de irradiações descem uma ao lado da outra para a Criação, a enteal e a espiritual.

Isso em si não está errado; pois essas duas espécies de irradiações se encontram sim, uma ao lado da outra, mas há uma diferença em seu atuar, que provoca o circular.

Sabeis que falei das irradiações dos espíritos puro-espirituais primordialmente criados. Mas o efeito destas irradiações é diferente daquele dos enteais primordialmente criados. A irradiação dos enteais é doadora, transmissora, mediadora, conforme acentuei. Mas também já desde o início apontei na minha Mensagem para o fato de que os primordialmente criados no puro espiritual, isto é, os espíritos puro-espirituais, em suas diversas espécies, atuam sobre a humanidade como gigantescos ímãs, portanto, atraindo ou aspirando.

Só hoje posso completar a imagem disso para vós, uma vez que as outras dissertações tinham que preceder e, esclarecendo, preparar o terreno para isso. Na realidade apenas ampliamos hoje o que até agora foi dito, a cujo respeito provavelmente não fizestes uma imagem bem exata, quando se falou de irradiações, no que imaginastes as irradiações agindo sempre só para baixo.

Mas delas existem duas espécies de efeitos diferentes. As irradiações vão, sim, no caso dos espíritos puro-espirituais primordialmente criados, também para baixo, de forma totalmente natural, mas seu efeito é ascendente devido àforça de atração, que os enteais não possuem, os quais são sempre somente doadores, portanto, presenteadores!

O espiritual é exigente devido à capacidade de atração. E nessa atividade de atração está ancorada, na verdade, também unicamente o assim chamado livre-arbítrio de decisão, se uma vez refletirdes bem. E até mesmo mais do que isso, reside nisso também ainda a distribuição absolutamente justa da recompensa ou do castigo, que vem como conseqüência da decisão sobre o respectivo espírito!

Refleti serenamente sobre isso e imaginai figuradamente os acontecimentos em todos os pormenores. Nisso vereis diante de vós, de repente, a surpreendente simplicidade da regularidade na Criação, a incondicional clareza nisso, e, apesar da livre vontade de decisão concedida, para o espiritual também a sua vinculação às conseqüências a isso ligadas, que se efetuam na mesma lei.

Uma única faculdade do espiritual realiza, portanto, múltiplas coisas, tão justas, tão lógicas, que tendes de ficar admirados diante disso, tão logo o reconheçais direito.

É, pois, inteiramente compreensível que essa capacidade de atração magnética do espiritual dentro da lei de atração da igual espécie atrai sempre apenas aquilo, que é desejado na capacidade de decisão, nada mais. E, aliás, exatamente com todas as mais finas gradações e matizes do bem como do mal! Apenas meditai profundamente a respeito. Não é difícil. Cada ser humano deve poder desenvolver tanta capacidade de imaginação.

A essa capacidade de atração é dada como contrapeso a capacidade de decisão, que não é necessária ao enteal, que sempre apenas doa segundo sua própria espécie! O espiritual atrai naturalmente também sempre apenas o correspondente à sua respectiva vontade, porque cada vontade abrange imediatamente todo o espírito, ilumina-o ou incandesce-o, no que a capacidade de atração somente então é desencadeada e sempre surge correspondentemente.

Da capacidade de atração o espírito não consegue desfazer-se; pois ela lhe é inerente, ou, dito de modo mais claro, propriedade ou uma parte de sua espécie. Disso, ele não se livra. E, como uma outra parte da espécie espiritual, é adicionada, de modo determinante, a capacidade de decisão, que é o desejo ou vontade, da qual igualmente não pode se desfazer, porque deve atuar de modo auxiliador;pois senão o espiritual simplesmente atrairia tudo o que existe, em desordenada confusão e poderia ficar pesadamente sobrecarregado.

Tais erros, porém, são excluídos na Criação através da justa lei da atração da igual espécie, que, em seus efeitos, é como um grande e incorruptível guarda da ordem. Ligai agora tudo isso, deixai que se torne vivo em imagens perante vossos olhos, e muita coisa tereis ganhado com isso para o vosso saber. Precisais, porém, dar-vos ao trabalho e, se for preciso, ocupar-vos profundamente durante horas e dias com isso, tanto tempo, até terdes compreendido direito. Então vos é dada outra vez uma chave na mão, que abre muitos, quase todos os portais da Criação para a compreensão!

Não descuideis disso, portanto! É importante que o façais; pois espiritual também é o vosso núcleo mais íntimo e o vosso verdadeiro ser, como também a vossa origem, e por isso estais sujeitos a essas capacidades de vosso espírito. Designamos esse acontecimento até agora como uma lei.

Mas na realidade trata-se de uma simples capacidade, de uma parte integrante do espírito, que se efetua naturalmente e que por isso parece uma lei!

Considerando rigorosamente, na verdade não existem leis na Criação, mas apenas capacidades, que, de acordo com sua respectiva espécie, atuam naturalmente, e por isso, mas também somente por isso, parecem ser leis inflexíveis!

Aprendei, por conseguinte, a conhecer as vossas próprias capacidades, bem como também as das outras partes da Criação, e com isso conhecereis as leis que, na realidade, congregam-se em uma única lei, que apenas é múltipla no efeito. Assim que tiverdes progredido suficientemente em vossos reconhecimentos, cairá subitamente como que escamas de vossos olhos e ficareis emocionados diante da simplicidade!

Com isso, por fim, nem haverá mais leis para vós, tão logo tiver se estabelecido o verdadeiro saber, visto que com o saber tudo se torna apenas um sábio aproveitamento de todas as capacidades, e com isso vos tornareis livres; pois será a mesma coisa que o cumprimento de todas as leis.

Portanto, aprofundai-vos agora primeiramente mais uma vez nisso e procurai compreender o grande pulsar na Criação. Quero, por isso, repetir:

O enteal irradia e doa para baixo, o puro espiritual irradia igualmente para baixo, porém age nisso, em vez de doando, atraindo qual um ímã!

E como os puro-espirituais primordialmente criados encontram-se, segundo a sua espécie, no limite superior da Criação, e possuem também a maior força de atração no espiritual, eles agem então como ímãs gigantescos sobre tudo o que tem espécie espiritual, seguram-no e deixam fluir para cima tudo quanto corresponde à sua espécie, isto é, neste e em todos os casos, sempre somente o bom transformado de todos os planos, enquanto que tudo, o que novamente foi transformado por eles próprios, é então aspirado ou subtraído pelo divino, cuja força de atração naturalmente é ainda mais forte.

E, bem entendido, sempre somente o bom transformado é atraído para cima, e na verdade apenas as irradiações em si, que também podem ser denominadas de resultado da atividade espiritual.

Falta-vos, no entanto, a noção para a necessária transformação. A transformação ocorre unicamente no querer do espiritual, que lhe é inerente, e que por isso nem pode outra coisa senão incondicionalmente e constantemente querer algo, mesmo que seja somente em um impulso interior.

E esse processo ou a atividade, podemos também denominá-lo de movimento do querer, atrai, ao incandescer, o que é de igual espécie da respectiva espécie do querer das irradiações doadas pelo enteal.

Na união da irradiação do querer do espiritual com a doação da mesma espécie desse querer do enteal, ambas ficam, por sua vez, mais fortemente incandescidas, e aquilo que, devido a essa incandescência, está sendo ligado ainda mais estreitamente resulta em uma nova irradiação de conteúdo diverso e também mais forte.

Nisso reside a chamada transformação. E as irradiações assim modificadas através de nova união são atraídas pelo plano imediato mais elevado, soerguidas, seguem, portanto, para cima.

Este processo repete-se constantemente de plano em plano, em direção ascendente, a não ser que... por má vontade ou por tepidez do espiritual o impulso ascendente fique interrompido e cortado, visto que só a boa vontade conduz para o alto.

A tepidez é um estorvo, porque não mantém o movimento necessário. Ocorre então uma paralisação em toda a Criação. E é nisso que a humanidade terrena tem pecado tanto, pecado contra a Criação inteira, e com isso contra a Vontade de Deus, contra o Espírito Santo!

Ela provocou uma estagnação no circular, o qual só agora é posto novamente no movimento correto, até aumentado e com isso derruba tudo, o que até agora, impedindo, se lhe opôs. —

Não são, por conseguinte, somente as irradiações do espiritual, por si, que conduzem para cima, a esse respeito tendes, em primeiro lugar, de procurar obter clareza. Essas simples irradiações próprias já estão adaptadas ao respectivo plano, onde respectivamente se encontra o espiritual em suas personificações humanas, e por isso também estão correspondentemente resfriadas e teriam que permanecer sempre no mesmo plano, se o querer impulsionador do espiritual não atraísse doações ou irradiações enteais e as transformasse simultaneamente.

Também tudo isso se processa de modo natural. Ocorre uma ligação correspondente de irradiações, a qual, no movimento espiritual do querer, recebe um maior grau de calor e através disso proporciona a possibilidade de ligação da atração oriunda do plano superior, que se efetiva imediatamente.

Podeis imaginar o circular das irradiações mais ou menos assim como a circulação do sangue no corpo humano, que proporciona, sim, uma imagem aproximada do processo na Criação.

O movimento das irradiações na Criação é, portanto, muito simples, e ao mesmo tempo nitidamente condicionado: o enteal irradia somente para baixo e está sempre apenas doando, dando. O espiritual irradia também de si para baixo, mas apesar disso atua atraindo para cima, segundo a descrição que acabei de vos fazer.

Isso se refere naturalmente apenas às irradiações em si, não por acaso aos espíritos que se tornaram pessoais, os espíritos humanos. Estes encontram seu caminho para cima ou para baixo pela, ou, na lei da gravidade, que na realidade está estreitamente ligada com a lei da atração da igual espécie e que se efetivam por assim dizer como uma lei.

Se o anseio, portanto, o querer e o desejar de um espírito humano se dirige para cima, então as irradiações por ele transformadas, que sempre são atraídas de cima, formam o caminho, a estrada para ele mesmo em direção ascendente, sobre a qual ele caminha para cima de maneira completamente de acordo com a lei. Ele atrai, com isso, também do enteal as irradiações situadas cada vez mais e mais alto, que o ajudam a subir como cordas ou fios; pois na transformação das mesmas também a sua forma espiritual recebe cada vez mais calor, o que o faz subir, tornar-se continuamente mais luminoso e mais leve, mais incandescente.

Não obstante da estreita relação de todos os acontecimentos existem sempre ainda muitos acontecimentos colaterais especiais que, aliás, um como conseqüência do outro, permanecem condicionados e estão entrelaçados uns com os outros.

Se, porém, eu não quiser dificultar-vos a compreensão para tanto, não devo tocar ainda nos acontecimentos colaterais. Mas o que eu disse hoje já basta para vos oferecer um apoio seguro para o contínuo progredir, bem como para o futuro pesquisar próprio.

Portanto, o enteal está sempre apenas doando na vontade de Deus, ao passo que todo espiritual, devido à sua capacidade de atração no querer, permanece, na realidade, sempre apenas o que exige e recebe.

Conforme já disse, o ser humano, por ser espiritual, sempre apenas se serve como hóspede da mesa desta Criação, já posta pelo enteal. Infelizmente, porém, ele se serve exigindo egoisticamente, em vez de agradecer alegremente ao levantar os olhos para Aquele, Que lhe oferece tudo isso. E nisso ele tem de modificar-se agora, senão ele será arrancado da mesa do Senhor, que é formada pela Criação, arrancado por alguém mais forte, que agora se colocou nesta mesa, a própria Vontade de Deus à qual todos os enteais servem jubilosamente.

Quero ainda me referir aqui a um ponto da dissertação “Mulher e homem”, que pode ter provocado em muitos de vós pensamentos que não estão certos. Nas histórias da Criação dos diversos povos muitas vezes é mencionado que o homem e a mulher surgiram simultaneamente. Em algumas, no entanto, também, que o homem surgiu primeiro.

Mesmo que as simples noções dadas figuradamente sobre isso nem possam ser levadas em consideração, porque foram concedidas de acordo com os degraus de desenvolvimento dos povos individuais e suas épocas, ao passo que aqui encaramos o verdadeiro saber da Criação, rigorosamente de acordo com a lei, ainda assim não encontrareis nisso nenhuma contradição; pois através dos acontecimentos em conformidade com a lei, até agora descritos para vós, sabeis que, naturalmente, primeiro tinha que se separar ou desligar do enteal o mais grosseiro, puramente masculino, positivo, antes que pudesse permanecer o puramente feminino!

Assim, pois, seria possível descrever o homem como tendo surgido primeiro, ao passo que pode ser dito com o mesmo direito que com isso ambos surgiram simultaneamente. Ambos os modos de descrições figuradas anteriores devem ser considerados como caracterizados corretamente no verdadeiro, grande e real acontecimento; pois o espiritual feminino mais delicado ou a mulher espiritual, por sua vez, só pode surgir quando o grosseiro espiritual masculino tiver se separado do enteal, senão, não.

É, portanto, expresso corretamente, considerado em qualquer direção, apesar da diversidade das imagens para isso nas retransmissões de outrora; pois as descrições da Criação não se referem à formação na matéria mais grosseira, mas, sim, ao princípio da Criação toda, e este teve início no reino do puro espiritual, no ápice da Criação, a qual então continuou desenvolvendo-se daí sucessivamente para baixo.

Ocorre nessas descrições como em tudo o que os seres humanos terrenos fazem, e como também não foi diferente na descrição do acontecimento em torno de Parsival e do Burgo do Graal: aos seres humanos que se aprofundam espiritualmente são presenteadas inspirações, que não conseguem reconhecer claramente e as quais, então, na retransmissão por isso em si já distorcida, simplesmente comprimem em seus respectivos ambientes, bem como nos acontecimentos, hábitos e costumes a eles conhecidos terrenalmente, onde principalmente ainda o intelecto não perde a oportunidade para contribuir igualmente com sua parte não muito pequena. Certamente não preciso acentuar de modo especial que isto, naquelas coisas, que o intelecto terreno de maneira alguma é capaz de compreender, não pode agir favorecendo e esclarecendo, mas tem que parecer desfigurado.

E assim todas as descrições desse tipo sempre só surgiram em reproduções leve ou gravemente distorcidas, nas quais vós, que agora sois sabedores, nunca vos deveis agarrar demasiadamente firme. Senão logo ficareis para trás junto ao distorcido, e deveis por fim perecer com ele, porque tudo tem que estar endireitado para o Reino dos Mil Anos, caso queira subsistir.

As velhas descrições, que por si já necessitam muito de apresentações mais exatas para a nova época agora, também não mostram nenhuma contradição quanto ao fato de que o feminino sempre forma e permanece a ponte para o degrau superior seguinte na Criação e, como parte passiva, é a parte doadora, mais forte, condicionada e capacitada devido à sua espécie peculiar, que conserva e encerra em si ainda uma parte do enteal próximo superior.

Mas como o enteal atua sempre apenas doando, e não atraindo, não pôde, apesar de sua espécie mais elevada, impedir a queda do querer da mulher terrena. Pois está sempre apenas pronto a dar lá, onde é solicitado por isso.

Esforçai-vos, pois, em assimilar direito a minha Mensagem e em agir de acordo com ela.

Não tenho a intenção de apresentar-vos tudo comodamente separado nos pormenores; pois vós próprios também tendes de movimentar-vos e contribuir com aquilo, que reside em vossas forças.

Conheço exatamente os limites de tudo quanto aos espíritos humanos terrenos é possível pensar, intuir e agir, melhor ainda do que vós próprios, e espero dos leitores e ouvintes da minha Mensagem e de meus esclarecimentos o máximo do que é capaz o ser humano da Criação posterior, se realmente quiserem seguir-me; pois assim está certo e é-vos proveitoso segundo a vontade de Deus, que exige movimento e a vibração em conjunto no circular de todas as irradiações, que atravessam a Criação.

Animai-vos, por isso, nesse sentido! O que nos limites de vossa compreensão é possível assimilar, vós deveis fazer. Deixo isso inteiramente a vosso critério, apenas indico o rumo para tanto, construo fundamentos, sobre os quais deveis e podeis continuar a construir.

Se nisso quiserdes omitir preguiçosamente o próprio trabalho, e vos contentardes em assimilar em vós tão-somente o sentido da Mensagem, sem também aproveitá-lo de maneira certa para continuar a construir, então não tereis nenhum proveito da Palavra; pois o valor real terá de permanecer-vos fechado como um livro com sete selos.

Somente mediante a vossa própria movimentação abrir-se-á também a Mensagem para vós e derramará a rica bênção sobre vós. Tornai-vos, portanto, ativos no espírito! Dou-vos com minha Palavra o estímulo para isso!

Eu não me encontro entre vós como um criado, ó seres humanos, que quer assumir o vosso trabalho para que possais descansar, mas eu vos indico o caminho, que vós tendes de trilhar, se quiserdes ser felizes, e vos guio!

Ressonâncias da Mensagem do Graal de Abdrushin


Índice

[Mensagem do Graal de Abdrushin]  [Ressonâncias da Mensagem do Graal] 

contato