Ressonâncias da Mensagem do Graal 2

de Abdrushin


1.LIVRO ◄ ► 2.LIVRO
Deutsch
English
Francais
Español
Русский
Česky
Índice


32. Chamas purificadoras

Também hoje muitos seres humanos, que têm conhecimento do Filho de Deus, Jesus, e acreditam em sua espécie e missão, festejam novamente o Natal.

Apesar de a espécie de missão não ter sido reconhecida de maneira certa pelos seres humanos, porque muitos pensam que ele veio apenas para sofrer e morrer aqui na Terra por eles, mesmo assim também existem alguns entre eles que, no mais puro querer, oram a Deus e a Ele agradecem pela missão de Seu Filho.

E a esses seres humanos deve ser dado auxílio, por causa de seu querer puro, mesmo que através de dor e sofrimento, se de outra forma não for possível levá-los ao reconhecimento de seu erro!

A dor e o sofrimento são então um ato do maior amor, que mais uma vez lhes quer ajudar, para que não se perca o seu querer puro, só por causa de um conceito errado aprendido através de escolas e igrejas e do qual, espontaneamente, não podem mais deixar, porque receiam ficar com isso sem apoio e se expor a inimizades terrenas.

A esses seres humanos deve ser dado auxílio! Não, porém, àqueles que, tal qual os primeiros, foram levados por caminhos errados, mas que não trazem em si o grande e puro querer, e sim mornidão, superficialidade, indiferença em tudo o que está em ligação com essa festa. Tampouco àqueles que, por costume, consideram a festa como algo puramente terrenal e não espiritual!

Para esses a irradiação do amor, que hoje e por ocasião da solenidade da Estrela Radiante atravessa as chamas do Juízo, não encerra o auxílio alegre, mas sim repulsa, para que eles sucumbam no Juízo!

A irradiação do amor, que hoje, após meses, atinge pela primeira vez novamente esta Terra, é precursora do próprio amor de Deus, o qual aos poucos se movimenta novamente ao encontro de seu invólucro terreno, seguindo a trajetória da Estrela, que agora vem de modo exigente, na força primordial de sua constituição espiritual, aproximando-se cada vez mais da humanidade terrena.

Impetuosamente se aproxima como mensageira de Deus, como testemunha Daquele que foi enviado para cumprir a sacrossanta vontade!

Ela torna, aí, tudo novo, pois através dela cai e despenca aquilo que, no Juízo, foi marcado para a queda! Ela traz o desencadeamento disso. Em sua irradiação vivenciareis, agora, os efeitos grosso-materiais!

É o desencadeamento do já ocorrido Juízo na matéria grosseira, de acordo com as leis da Criação, como foi prometido desde há muito! Julgado já está cada ser humano segundo suas obras, as quais deixam reconhecer seu íntimo.

Entre essas obras não se devem entender aquelas de matéria grosseira visíveis aos seres humanos, mas sim os efeitos do seu verdadeiro querer, que ele freqüentemente esconde dos seres humanos.

Os efeitos do seu querer mostram-se em suas obras, que de início são invisíveis aos seres humanos, no legítimo e automático tecer desta Criação, conforme já descrevi na Mensagem, as quais, porém, estão em conexão com o seu gerador, devendo com o tempo tornar-se sensíveis e também visíveis na matéria grosseira.

E este Juízo de Deus já ocorreu em toda parte! Espiritualmente ele se efetuou imediatamente e agora também aconteceu na matéria fina.

A Estrela Radiante em impetuosa aproximação é, no entanto, agora a chave que desencadeia o acontecimento na matéria grosseira, terminando aqui o que já se processou no espiritual e na matéria fina.

A força da Estrela rompe as muralhas que os seres humanos erigiram em volta de si mesmos, far-lhes-á sentir o Juízo, perante o qual, sob a proteção grosso-material de seus corpos terrenos, até agora ainda podiam passar furtivamente.

A Estrela é a chave para os acontecimentos de matéria grosseira, que em tudo foram preparados pelos auxiliadores enteais!

Desse modo ela se torna, agora, o último chamado para a humanidade terrena, a derradeira advertência que, em rápida, sim, direta seqüência, traz também consigo o fim, o qual pode se tornar um princípio somente para aqueles seres humanos que quiserem, daqui em diante, enquadrar-se nas leis de Deus, incondicionalmente, em humilde adoração a Deus-Pai, seu Único Senhor em toda a eternidade!

Os seres humanos que, devido ao seu querer próprio, procuraram afastar-se Dele, criando ídolos por eles mesmos escolhidos, serão esmagados por estes, que, derrubados agora dos seus pedestais pela onipotência de Deus, cairão sobre aqueles que os elevaram a esse ponto.

Seres humanos, encontrai-vos numa época, cuja aspereza tendes de agradecer a Deus, porque unicamente ela pode trazer-vos salvação, ao despertar-vos do profundo sono em que caístes por vosso próprio querer!

Abalos sobre abalos de toda a espécie vos atingirão agora terrenamente, e, estreitamente ligado a isso, também a alma. Muitas pessoas, hoje, somente podem ser atingidas na alma, se tiverem de vivenciar o terrenal na forma mais grosseira, porque já são demasiadamente embotadas em tudo, e suas almas jazem isoladas atrás de uma edificação de pedra, para sonhar, como que paralisadas, ao encontro do sono da morte.

A edificação de pedra é a obra do raciocínio terreno que, em primeiro lugar, tem de ser quebrada e destruída, antes que a alma possa notar algo das irradiações da Luz.

A obra do raciocínio terreno, opressor do espírito, estende-se por toda esta Terra, endurecendo tudo, sendo ainda especialmente destacada em muitas pessoas. Entretanto, já no primeiro impacto da Luz chegará ela, mui rapidamente, a balançar.

Com o aparecimento da Estrela Radiante, porém, ela desmoronará por toda a parte sob os gritos dos seres humanos que a ela estão presos, e sob imprecações e maldições mútuas.

Toda a confusão caótica será, então, ornada por toda a parte com atos de loucura, mas também misturada com súplicas que se elevam do desespero!

Justamente pelo fato de a obra perniciosa parecer tão firmemente edificada e terrenamente forte, sua ruína deverá tornar-se tanto mais horrível, porque devido à força de sua resistência também o impacto da Luz se tornará mais poderoso.

Então, encontrar-vos-eis firmes no meio da confusão, olhando alegremente para Deus, pois sois guardados e protegidos na graça de Sua onipotência, se atuardes dentro da Palavra!

E vossa segurança concede proteção e auxílio a todos, cujas súplicas, baseadas no reconhecimento de Deus, se dirigem à Luz. Vós podereis indicar o caminho aos que procuram, o qual os conduzirá para fora dos laços e das armadilhas das trevas que caem, para que eles não sejam arrastados conjuntamente, se suas almas ainda no último momento, esforçando-se sinceramente, procurarem agarrar-se à Palavra.

Que a irradiação do amor de Deus será enviada já agora, em meio de todas as irradiações de ira, é novamente uma bênção tão imensurável, a qual o ser humano compreenderá somente muito mais tarde. A irradiação do amor dá hoje, a muitos seres humanos ainda, uma possibilidade de poderem se salvar no meio do Juízo. A tais, que de outra forma teriam de se perder, porque suas forças não bastariam para se libertarem das trevas, cujos tentáculos procuram mantê-los presos na queda.

É a irradiação do amor divino, que a ele mesmo precede! Amor esse que está estreitamente ligado a Jesus, que em parte vem de Jesus.

Como outrora, por ocasião do nascimento do Filho de Deus, Jesus, na Terra, assim também será hoje, mais uma vez, colocada a base para que a nossa solenidade da Estrela Radiante novamente possa tornar-se uma solenidade de agradecimento pelo inimaginável amor de Deus!

Assim como em 7 de setembro de cada ano é celebrada com alegria a solenidade da pureza divina, a solenidade do Lírio, também a solenidade da Estrela Radiante, por este novo ato de graças do Senhor, tornou-se agora uma solenidade do amor divino, a solenidade da Rosa!

Onde quer que a Estrela Radiante envie ao Universo as puras chamas incandescidas pelo espiritual, realiza-se sempre e simultaneamente naqueles pontos também um grande ato de graças do amor de Deus!

E se ela, agora aqui na Terra, desencadeia o Juízo, então há também nisso amor de Deus, pois ele traz salvação e libertação das trevas e de todo o malquerer para as criaturas que almejam a Luz!

Que as chamas desta Estrela tenham de desencadear um Juízo, deve-se unicamente aos seres humanos que, em seu querer mau, afastado de Deus, sua presunção e egoísmo, formaram obras más, que não suportam a irradiação purificadora da Luz, oscilando e desmoronando!

Na realidade essa irradiação encerra em sua incandescência somente a mais pura força para a devida elevação de todos os seres humanos terrenos e da própria Terra, agora, dentro do fenômeno universal! Portanto, a irradiação do mais puro amor de Deus, o qual, contudo, é suportável apenas por aquele que vibra no amor de Deus.

E tudo o que não possa vibrar nele será dolorosamente apanhado, crestado, queimado pela pureza dessas irradiações, pois a chama purificadora desta Estrela não é somente destinada ao espírito, mas sim para toda a criatura, também para a matéria grosseira. E à purificação pertence a destruição de tudo aquilo que não pode vibrar no amor de Deus!

A Estrela, de qualquer forma, teria chegado nesta época, para então derramar sobre a Terra a plenitude de sua incandescência e, com isso, na sua intensa força espiritual, sugando, elevar a humanidade e a Terra para um novo reino, ao qual agora pertencem segundo a lei da vontade de Deus!

Estivessem os seres humanos tão amadurecidos, como já deveriam estar hoje em seu desenvolvimento, se tivessem procurado atender a todas as leis da Criação, então o aparecimento dela despertaria nos seres humanos jubilosa saudação e uma feliz adoração, cheia de agradecimento, ao Senhor que a enviou!

Como, porém, não é assim, mas sim a humanidade terrena no falhar afundou ainda mais do que se poderia imaginar, o seu aparecimento efetua-se agora, de modo diferente. Ela deve atuar, primeiramente, destruindo e aniquilando, até que a força de sua irradiação, elevadora e construtiva, possa manifestar-se da forma mais pura, porque então ela cairá sobre aquele solo, que foi preparado pelos sofrimentos, para recebê-la dignamente!

Somente por isso a Estrela torna-se o Juízo para os seres humanos e para tudo aquilo que não está de acordo com a vontade de Deus. E só está de acordo com a vontade de Deus aquilo que vibra no amor de Deus, porque Deus é o amor!

Vós, seres humanos, compreendeis agora a grande simplicidade que se encontra em todo o fenômeno universal? Seja o que nele se der, só poderá ser sempre amor!

Vós, porém, fizestes da santidade do amor uma imagem totalmente desfigurada, rebaixastes o seu conceito até a imundície.

Contudo, também isso, por sua vez, somente devido ao raciocínio preso à Terra que, consoante a sua espécie, conhece apenas o amor terreno edificado sobre o sentimento de matéria grosseira, não possuindo nenhuma capacidade de compreensão para a intuição de um espírito puro. E o sentimento de matéria grosseira ele ainda torceu, transformando-o num instinto embrutecido!

Não contente com isso, porém, o raciocínio, no desenvolvimento progressivo de seu exagerado cultivo, forçou ainda esse instinto embrutecido, o qual, no entanto, podia permanecer puro como nos animais, cada vez mais para baixo, até o pecado!

Colocar o ser humano terreno num nível igual ao do animal, era insuficiente como objetivo das trevas escarnecedoras. Queriam manter o espécime humano ainda muito mais baixo, colocá-lo abaixo ainda de cada animal!

Os seres humanos, que nos seus lentos desenvolvimentos, sob cuidadosa direção de tantos eleitos, determinados e preparados pela Luz para esse fim, foram capazes de conseguir livrar-se com grandes esforços dos instintos animais, todavia puros, e que no princípio ainda existiam nos seus corpos, deviam, não só cair de novo nesse estado, apesar de já terem despertado neles os espíritos, mas sim deviam ser forçados a cair ainda mais para baixo do que estavam antes.

Através do raciocínio, servindo voluntariamente às trevas, e, com o estímulo delas, cultivado excessivamente pelos próprios seres humanos, raciocínio esse que, eternamente duvidando, cismando, não concede mais um firme apoio ao ainda insuficientemente fortalecido espírito, estes assim tornados dependentes conseguiram, como conseqüência automática, transformar o instinto animal puro de seu corpo numa cobiça calculista da forma mais baixa, isto é, envenenando no ser humano até a naturalidade do animal!

Com isto, tudo ficou literalmente estragado, e o ser humano terreno facilmente rebaixado para a mais ínfima dentre as criaturas de toda a Criação, porque isto tinha de ser a conseqüência do raciocínio que se desenvolvia automaticamente em todos os males, com o cultivo excessivo e unilateral, após o pecado original, uma vez que ele não dera ouvidos aos muitos auxílios provenientes da Luz!

E que ele não daria ouvidos a esses auxílios, era evidente às trevas, pois estas conheciam a vaidade dos seres humanos, que tinha de aumentar sempre mais, devido à presunção do raciocínio terreno errada e excessivamente cultivado.

Assim, com o cultivo errado do raciocínio, foi colocada para o ser humano não somente uma profunda e fatal armadilha de alma, mas sim, ao mesmo tempo, também foi corrido um pesado ferrolho devido à vaidade que aí disparava, o qual teria de impedir que uma alma pudesse escapar da armadilha, pois a vaidade no querer saber melhor não deixaria, assim tão facilmente, esses seres humanos terrenos, em seu mesquinho modo de pensar, dar ouvidos aos auxílios vindos da Luz pela Palavra!

Está certo, pois, se ficais tomados de horror, assim que eu fale de quão profundamente caiu o ser humano!

Agora, porém, deve ser pronunciado e arrastado do esconderijo lúgubre para a Luz, para que seja definitivamente destruído pela irradiação da Estrela, caso não seja queimado pessoalmente por cada um que desperta, no fogo do espírito acordado. Justamente hoje eu quero cumpri-lo, no dia do mais sagrado amor de Deus.

Eu clamo aos seres humanos para que reconheçam tal fato e se livrem do mal, ao qual se entregaram como ao mais forte entorpecente, por artimanhas do tão torcido raciocínio! Pois unicamente este os levou a isso.

O sedutor sabia muito bem que tinha de acontecer assim, após a humanidade ter tomado a direção falsa por ele oferecida como engodo!

Nem podia acontecer de forma diferente, pois o raciocínio, que devia tornar-se apenas um instrumento executivo do querer humano, prejudica agora todo o querer e elevou-se, desse modo, a si mesmo, a falso guia, que não pode ter ligação com a sagrada vontade de Deus, ficando, com isso, interceptado também do amor de Deus.

Justamente hoje, por ocasião da solenidade do sagrado amor, no que, aliás, ela deverá se tornar futuramente, eu tinha de apresentar-vos mais uma vez o quadro, a fim de que vísseis como é constituído atualmente vosso amor em sua maior parte; a fim de que reflitais, horripilados, e ainda possais receber uma centelha do puro amor de Deus!

Eu descortino esse quadro, a fim de que possa ser destroçado agora com tudo quanto está errado e que agora não mais deve ter lugar na Criação, depois de sua grande purificação!

Nunca teria chegado a tal ponto, se os seres humanos tivessem dado ouvidos, pelo menos uma vez, de modo eficaz, aos muitos auxílios vindos da Luz!

Algumas vezes, sim, deram ouvidos, quando se demorava entre eles um anunciador, contudo depois de sua partida logo cismavam a respeito da sua palavra, a fim de, através das dúvidas surgidas e do querer saber melhor, dissecá-la, torcê-la e transformá-la de acordo com o próprio gosto. E assim afundou a humanidade terrena, lenta, porém seguramente, cada vez mais fundo, no lodo que seus próprios pensamentos formaram e difundiram.

Agora, porém, erguei-vos vigorosamente! Pois mais uma vez não será permitido tal acontecimento. Chegou o fim, mas somente o vosso, se desta vez não quiserdes dar ouvidos às Palavras de Deus, as quais devem elevar-vos para aquele ponto, em que o ser humano deve se encontrar como ser humano nesta Criação!

Não lhe será mais permitido permanecer como um monstro, que não pode ser nem bem ser humano nem bem animal, na perfeita obra do Criador, para desfigurar a sua beleza, para continuar a impedir e perturbar a vibração da pura harmonia.

Vem aí o sagrado Juízo, ó seres humanos terrenos! Por isso tornai-vos seres humanos ou perecei nas chamas da Estrela Radiante!

No entanto vós, portadores da sagrada Cruz na testa, agradecei ao Senhor por esta grande purificação, pois vós, que portais pura em vossas almas a Palavra da Mensagem, com o grande querer para o bem; vós, que aspirais pelas luminosas alturas, a vós a Estrela outorgará grande força, para que vos torneis novos dentro de vós, de acordo com a vontade de Deus!

Sob forte proteção da Luz, passareis por esses tempos difíceis, que vos deixarão cada vez mais purificados e incandescentes, até vos tornardes chamas, que brilharão na Terra para honra de Deus, na mais pura adoração, e que atuarão auxiliando entre os seres humanos, atraindo por toda a parte em que uma centelha espiritual, no despertar, ainda se queira elevar para as alturas luminosas!

Por isso, ide agora confiantes na Palavra, que vos mostra os caminhos certos, que tendes de seguir, e que também vos transmitirá a força para as horas em que o desânimo vos quiser dominar. Pensai que tudo o que vier será um ato de graças do amor de Deus, que força a purificação!

Cada solenidade da Estrela deverá tornar-se, no futuro, uma solenidade de agradecimento pelo atuante amor de Deus, a qual se unificará com a, até agora conhecida, Festa de Natal.

Contribuí vós para isso, com o vosso auxílio junto aos seres humanos, que em aflições de alma brevemente se acercarão de vós.

Prestai-lhes auxílio na Palavra! Pois esta permanece ainda a única coisa que precisarão em primeiro lugar!

Abdrushin


Índice

[Mensagem do Graal de Abdrushin]  [Ressonâncias da Mensagem do Graal] 

contato